Compartilhe
Ir em baixo
Admin
Mensagens : 113
Data de inscrição : 15/08/2018
Ver perfil do usuáriohttp://sisuniversity.forumeiros.com

Capítulo 8 : Reprodução por esporos

em Sex Ago 17, 2018 2:06 pm
Capítulo 8 : Reprodução por esporos


Os esporos são estruturas pequenas produzidas em grande quantidade por bactérias, fungos e plantas, com capacidade de gerar um novo indivíduo.

Por serem extremamente pequenos e leves, os esporos podem permanecer no ar por longos períodos de tempo e serem deslocados por grandes distâncias. Além disso, também podem ser transportados quando aderidos ao corpo de animais.

Os esporos são extremamente desidratados e possuem múltiplas camadas, que o tornam resistentes ao calor, agentes químicos e físicos e radiação.

Esporos Bacterianos
Os esporos bacterianos ou endósporos atuam como estruturas de sobrevivência quando a bactéria encontra-se em condições ambientais desfavoráveis. Eles são produzidos pela própria bactéria e encontram-se livremente em seu interior. Inclusive, a posição do endósporo é usada como forma de identificação das espécies.

A esporulação é o processo pelo qual as bactérias produzem esporos quando estão em um ambiente desfavorável à sua sobrevivência.

Na fase de esporo, a bactéria pode permanecer dormente por um longo tempo, até que as condições voltem a ser favoráveis. Nesse período, há redução do metabolismo e não ocorre multiplicação e crescimento.

Os esporos podem permanecer viáveis por séculos. Eles são resistentes ao calor, desidratação, radiação e mudanças de pH.

Quando as condições ambientais são favoráveis, o esporo absorve água até inchar e romper-se. Assim, ocorre a germinação, produzindo uma célula idêntica a célula parental.

Em resumo, uma única célula bacteriana vegetativa forma um endósporo que, em condições ambientais favoráveis, germina e origina uma célula bacteriana. Isso garante a sobrevivência da espécie.

Esporos de Fungos
A reprodução sexuada e assexuada dos fungos é garantida pela produção de esporos. Os esporos de fungos podem ser assexuados e sexuados.

Os esporos assexuados formam-se por mitose e posterior divisão celular, sem fusão de núcleos. Quando os esporos germinam, tornam-se organismos geneticamente idênticos ao parental.

Os esporos sexuados resultam da fusão de núcleos de duas linhagens opostas de cruzamento de uma mesma espécie de fungo. Esse tipo de esporo é menos frequente.

Os esporos de fungos podem ser móveis ou imóveis. Os móveis apresentam um flagelo e são denominados de zoósporo.

Esporos de Plantas
Algumas plantas, como os musgos e as pteridófitas, também se reproduzem a partir de esporos.

Nas plantas, os esporos são produzidos nos esporângios desenvolvidos no interior dos soros. Os soros caracterizam-se por um aglomerados de esporângios.

Na época de reprodução, os soros amadurecem e os esporângios produzem esporos por meiose. Quando os esporângios se rompem, liberam os esporos no ar. Daí eles podem ser dispersados, permitindo que as plantas possam colonizar novas áreas.

Quando os esporos encontram um substrato adequado, com umidade, acontece a germinação.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum