Compartilhe
Ir em baixo
Admin
Mensagens : 113
Data de inscrição : 15/08/2018
Ver perfil do usuáriohttp://sisuniversity.forumeiros.com

Capítulo 4 : Doenças Sexualmente Transmissíveis

em Qui Ago 16, 2018 9:05 pm
Capítulo 4 : Doenças Sexualmente Transmissíveis


Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)
As DSTs, ou Doenças Sexualmente Transmissíveis, são doenças transmitidas,
principalmente, pelo contato sexual de forma desprotegida, sem o uso de
preservativo.

O uso da camisinha em todas as relações sexuais previne DSTs e gravidez não
planejada
As Doenças Sexualmente Transmissíveis, ou DSTs, são aquelas doenças
transmitidas, principalmente, pelo contato sexual sem o uso de camisinha com
uma pessoa infectada. Também são conhecidas como doenças venéreas, termo
que antigamente era utilizado em referência à deusa grega do amor, Vênus.

A transmissão de DSTs pode ocorrer também através de transfusões sanguíneas,
quando o doador está contaminado; através da mãe para o feto, durante o parto
ou durante a gravidez; pelo uso de agulhas de seringas contaminadas e, em
alguns casos, pelo contato com outras partes do corpo de uma pessoa infectada,
quando há ferimentos com secreções.

Muitas DSTs são assintomáticas, o que agrava o quadro dos portadores, já que o
tratamento demorará a ser iniciado. Mas, no geral, elas se manifestam por meio
de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. Algumas possuem tratamento
simples e rápido, especialmente se detectadas no início. Contudo, outras têm
tratamento mais difícil e mais demorado. Algumas permanecem na pessoa por
muito tempo sem se manifestar, aparecendo apenas em momentos em que há
queda na imunidade do portador. Deixar de tratar essas doenças pode, além de
agravar a infecção, ocasionar outras doenças como o câncer e até levar à morte.

Existem diversos agentes etiológicos (infecciosos) causadores de DSTs, entre
fungos, vírus, bactérias, protozoários etc. O público jovem e as pessoas com
menor acesso à informação são os que mais sofrem com essas doenças. Para se

prevenir, deve-se sempre fazer o uso de camisinha em todos os tipos de relação
sexual e tomar cuidado ao manusear objetos cortantes.

É importante também se manter informado sobre sexualidade e DSTs, o que
pode ser realizado com leituras especializadas e, especialmente, com idas a
centros de saúde. No geral, todas as capitais brasileiras apresentam centros
especializados de prevenção e tratamento de DSTs ligados ao Sistema Único de
Saúde (SUS). Nestes locais é possível realizar consultas, exames e receber
orientações sobre sexualidade e Doenças Sexualmente Transmissíveis
gratuitamente. Além disso, estes locais oferecem preservativos, assim como
todos os postos públicos de saúde.

Aproveite também as aulas de ciências ou biologia sobre o assunto para tirar
todas suas dúvidas, não tenha vergonha de perguntar. É melhor se informar do
que sofrer as consequências da falta de informação.

Veja agora um pouco sobre as principais DSTs:

Aids (Síndrome da Imunodeficiência Humana) – doença causada pelo vírus HIV,
que acomete o sistema imunológico humano, comprometendo-o e deixando o
organismo suscetível a outras doenças. É transmitida pelo sexo (vaginal, oral ou
anal) sem camisinha, pelo compartilhamento de objetos perfurocortantes
contaminados ou da mãe para o bebê na gravidez, parto ou amamentação.

Cancro mole (cancro venéreo) – essa doença causada pela bactéria Haemophilus
ducreyi provoca, inicialmente, a formação de feridas com pus nos órgãos genitais,
que aumentam de intensidade e profundidade com o tempo, podendo progredir
para a formação de caroços doloridos na virilha, que podem dificultar os
movimentos da perna e de andar. A transmissão ocorre por relação sexual
desprotegida, sendo a camisinha a principal forma de prevenção
Condiloma acuminado (HPV) – também conhecido como verruga genital, crista de
galo ou figueira, é uma virose transmitida pelo Papilomavírus humano (HPV), do
qual existem mais de 100 tipos. É uma infecção comum, podendo ser simples ou
causar câncer. O HPV causa verrugas de tamanhos variáveis na cabeça (glande)
do pênis e no ânus da mulher. Na mulher, os sintomas mais comuns surgem na
vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. É transmitido por relação sexual
desprotegida, na maior parte das vezes, ou da mãe para o filho durante o parto.
Além da camisinha, outro método preventivo importante é a realização periódica
do exame ginecológico Papanicolau, que é capaz de detectar alterações
precoces no colo do útero.

Gonorreia (blenorragia) – é causada pela bactéria Neisseria gonorrheae e pode
infectar o pênis, o colo do útero, o reto, a garganta e os olhos. Se a doença não
for tratada, alguns dos danos que ela pode causar é infertilidade, dor durante o
ato sexual e provocar o desenvolvimento do feto nas trompas de falópio, ao invés
do útero. É um caso de doença que pode ser assintomática. A prevenção é feita
através do uso de preservativos durante a relação sexual.

Herpes – é uma doença causada por um vírus que propicia a formação de bolhas,
principalmente, na parte externa da vagina e no pênis. Essas bolhas costumam
estourar e formar feridas doloridas. Este é um exemplo de DST que a pessoa que
foi contaminada pode permanecer com a doença por muito tempo sem saber que
é portadora, pois ela só se manifesta em determinadas ocasiões, tais como muito
estresse. A doença tem tratamento, mas não tem cura. Sua transmissão só
ocorrerá em sua forma ativa, quando a doença tiver se manifestado. Além do
contágio sexual, pode ser transmitida da mãe para o filho durante o parto.

Sífilis – é causada pela bactéria Treponema pallidum. A manifestação da doença
pode ocorrer em três estágios, sendo o primeiro caracterizado com feridas nos
órgãos sexuais e caroços nas virilhas. Se não for tratada, pode contribuir para o
surgimento de manchas no corpo, queda de cabelos, paralisias e até cegueira.
Pode ser transmitida através do sexo sem proteção com alguém infectado, por
transfusão sanguínea ou da mãe para o bebê durante a gravidez ou durante o
parto.

Para o tratamento de qualquer uma dessas doenças deve-se procurar um
profissional da saúde. Não deve haver autodiagnóstico e muito menos
automedicação!
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum