Compartilhe
Ir em baixo
Admin
Mensagens : 113
Data de inscrição : 15/08/2018
Ver perfil do usuáriohttp://sisuniversity.forumeiros.com

Capítulo 11 : Imigração Ilegal

em Qui Ago 16, 2018 8:45 pm
Capítulo 11 : Imigração Ilegal


Imigração ilegal
O contexto político do mundo atual impossibilita a imigração legal para a maioria
dos que desejam mudar para outro país, restando-lhes a opção da imigração
ilegal.

O passaporte é o documento que identifica o viajante e sua nacionalidade.
Não se tratando de um fenômeno novo, o processo de migração, que
hoje acontece em larga escala e em todo mundo, tornou-se significativo
com o processo de expansão europeu, na época em que comumente
nos referimos como “a era das grandes navegações”. As grandes
expedições dos exploradores europeus tinham como um de seus
objetivos encontrar e colonizar novos territórios. Essas novas colônias
eram estabelecidas com o intuito de agregar novos territórios aos
domínios da nação colonizadora, que buscava com isso expandir seu
domínio político e, ao mesmo tempo, conquistar novas terras com
recursos exploráveis que trariam maior poder econômico. Os colonos,
europeus que saiam de sua terra natal e se encarregavam de construir
e estabelecer o domínio de sua nação nesse novo território, foram os
que deram início ao processo migratório de grande escala que hoje é
característico de nossa realidade globalizada.

Hoje, o fenômeno da migração acontece em contextos completamente
diferentes dos da época das grandes explorações. O processo de
globalização, que também se inicia com as grandes navegações,
“encolheu” nosso mundo, encurtou grandes distâncias, transformou o
tempo de trajetos que levaria semanas, meses ou anos, em horas. A
facilidade de deslocamento tornou-se um grande fator para aqueles
que decidem pela migração. Já as motivações para essas migrações
são inúmeras: a busca de melhoria de vida, a fuga de um conflito

armado entre diferentes poderes, a perseguição cultural ou política de
um grupo ou indivíduo, ou mesmo a busca pela experiência de convívio
com diferentes culturas.

Convém então que especifiquemos, para compreendermos melhor, que
nesse mesmo processo migratório existem diferenciações quanto ao
objetivo do migrante e em qual sentido sua mudança se realiza.
Falamos em imigração quando o movimento é de pessoas que entram
em um país para fixar residência, enquanto que a emigração se refere
ao processo em que as pessoas de um país deixam seu território para
se fixarem em outro.

É a partir da intensificação das migrações no período pós-Segunda
Guerra Mundial que o fenômeno tornou-se uma preocupação política.
Preocupações como a dissolução de identidades nacionais, ou a ideia
de perda de uma identidade construída dentro de uma nação, ou
revindicações de caráter econômico por parte dos indivíduos naturais
daquela nação que se diziam prejudicados quanto à crescente
concorrência na obtenção de empregos, passaram a ser vistas como
ameaça ao bem-estar social das nações que recebiam grandes
quantidades de imigrantes. As políticas de imigração passaram a ser
endurecidas, restringindo a quantidade de imigrantes aceitos nos
países alvos do grande deslocamento migratório.
Imigração e legalidade

As exigências para a imigração legal são tão rígidas e inascíveis para a
maioria das pessoas que desejam se deslocar para outros territórios,
que a imigração ilegal acaba se tornando a única opção viável. Entre as
exigências estão a existência de parentesco direto com um cidadão
estadunidense, por exemplo, alta especialização em uma área
profissional ou acadêmica, ser um investidor de grande quantia (de 500
mil a 1 milhão de dólares) ou empreendedor que gere emprego no país,
dentre outros.

O exemplo mais claro está na grande quantidade de imigrantes ilegais
que tentam ou que conseguem cruzar a fronteira dos Estados Unidos
com o México, que é geralmente motivada pela busca de uma

promessa de melhoria de vida. Esses imigrantes ilegais arriscam a
própria vida, pagando grande quantia em dinheiro para que agentes
facilitadores, chamados de “coiotes”, os ajudem a atravessar a
fronteira. Entretanto, o risco de serem pegos, mortos ou acabarem
como vitimas do tráfico de seres humanos, que vendem homens e
mulheres sequestrados como trabalhadores escravos ou para a
prostituição forçada, é grande.

Em nosso período, a imigração é tão comum que os teóricos
convencionaram em chamar as últimas décadas de “a era das
migrações”. Estima-se que em 1990 a população migrante do mundo
era de 80 milhões de pessoas, já em 2010 estima-se que esse número
aumentou para cerca de 214 milhões.

Vivemos em um período em que as fronteiras nacionais estão cada vez
mais diluídas; a imigração, legal ou ilegal, passou a ser uma das
características que definem as sociedades do nosso mundo
contemporâneo.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum